ND AMA

VIDA NOVA PARA A PRAÇA DA LIBERDADE!!!08/07/18

GABRIEL FALA DA TÃO ESPERADA REFORMA DO CARTÃO POSTAL DE BH

Em uma cidade onde os espaços públicos de convivência e lazer estão largados à própria sorte, a notícia da restauração da Praça da Liberdade traz um pouco de esperança. Desde domingo, um dos principais pontos turísticos da capital está cercado por tapumes, com a promessa que até novembro ela será devolvida à população, inteiramente requalificada. 

CARTÃO POSTAL DA CIDADE ENTRA EM REFORMA

Há anos a Praça da Liberdade implorava por revitalização. Agora, com a liberação de recursos da Vale, em acordo com o governo do Estado, o Iepha e a PBH, a esperança é que um dos lugares mais charmosos e aconchegantes de BH enfim volte a ter o tratamento que sempre mereceu por parte dos órgãos públicos. Também é interessante a iniciativa de envolver a população na restauração, por meio de um concurso para a escolha das cores de três dos prédios que serão recuperados.

Os belo-horizontinos poderão escolher a cor da Casa do Patrimônio Cultural de Minas Gerais, a ser instalada no prédio onde funcionava a Secretaria de Viação e Obras Públicas, o Museu Mineiro e o Arquivo Público Mineiro. A proposta de abrir a participação para os moradores da capital deveria ser estendida a outros projetos de requalificação de espaços públicos. É mais democrático.

Já tive a oportunidade de manifestar aqui minha indignação com o péssimo estado em que a praça se encontrava. Mesmo tombado pelo Iepha, o cartão-postal viveu anos e anos sob o descaso do poder público. Agora, é torcer para que o prazo anunciado para a requalificação seja cumprido e que, no fim do ano, com a decoração natalina e a presença maçiça dos belo-horizontinos, a Praça da Liberdade recupere o seu charme e a sua beleza.

Um dos principais pontos turísticos de BH está fechado para reforma

                                       

E já que estamos falando sobre o abandono das áreas de convivência da cidade, gostaria de saber as razões que levam a administração municipal a manter três dos principais parques da cidade interditados desde o fim do ano passado: Parque das Mangabeiras, Parque Serra do Curral e Parque das Águas, no Barreiro. Os três espaços foram fechados sob a alegação de que havia risco de contaminação dos frequentadores pelo mosquito transmissor da febre amarela.

Entretanto, o surto de febre amarela passou, praticamente todos os parques do país, interditados para garantir a saúde das pessoas, já foram reabertos. Entretanto, na nossa cidade, as três principais áreas verdes permanecem de portas fechadas, sem que a população tenha acesso ao que lhes pertence. Os parques são patrimônio público, criados para que os cidadãos deles usufruam. 

Líderes comunitários têm cobrado a reabertura desses parques, mas a PBH não atende aos pedidos e, o que é mais grave, se recusa a divulgar qualquer explicação para mais de sete meses de interdição. É no mínimo desrespeitosa a atitude da administração municipal, que tem a obrigação de ser transparente e bem informar os cidadãos.

 

#reformando

 

GABRIEL AZEVEDO (COLLAB ESPECIAL)

FOTOS ANDREA MONTEIRO




COMPARTILHE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS




MENSAGEM




FACEBOOK