COLUNA DA NATÁLIA

PRECISAMOS FALAR SOBRE NOTORIUS RBG10/12/19

Fênomemo pop feminista nos EUA, juíza está em doc e filme

Na última passagem por NYC, fui surpreendida por um ícone pop feminista que desconhecia até então. Notorious RBG, como Ruth Bader Ginsburg ficou conhecida pelos norte-americanos, estampava canecas, t-shrits, tatoos e uma série de bugingangas.

Sua presença nas lojas de souvenires rivalizou com a do presidente Trump, porém com a diferença de que ela estava sempre do lado oposto ao dele, por razões óbvias.

Para quem não conhece e se interessou pela personagem, há duas produções que recomendo.

A primeira é o documentário “A Juíza”. Indicado ao Oscar em duas categorias e premiado em festivais, o doc apresenta uma advogada e juíza extraordinária, cujas lutas iniciadas na década de 1970 foram essenciais para assegurar às mulheres igualdade de direitos, nos EUA. 

Para falar de uma figura austera e tímida, as codiretoras Betsy West e Julie Cohen recorreram à sua vida pessoal. Assim a juíza, que gahou fama mundial só depois dos 60 anos, aparece fazendo força nas aulas de pilates, se divertindo com a neta, falando do marido e até faz uma ponta numa espetáculo operístico.

A segunda dica é o filme “Suprema”, com Felicity Jones no papel principal. A diretora Mimi Leder investiu numa trajetória de ascensão com altas doses de romance, em que a vida acadêmica da personagem tem um peso grande. É como se preparasse o terreno para nos deparamos com a poderosa juíza dos dias mais recentes.

Felicity Jones é Ruth em "Suprema" 

Ruth tem hoje 86 anos e, apesar de lutar contra um câncer, disse à revista Time que só vai se aposentar quando faltar lhe clareza mental.

O doc “A Juíza” está disponível no canal Philos, da Net, e “Suprema” também está no Now.

 

NATALIA DORNELLAS 

 

 

 

 



COMPARTILHE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS




MENSAGEM




FACEBOOK