COLUNA DA NATÁLIA

PELOS PODERES DE JÉSSICA! #CANNES16/06/18

JÉSSICA GOMES É REPRESENTATIVIDADE MINEIRA NO FESTIVAL

Redatora digital da agência Lápis Raro, a publicitária Jéssica Gomes vai participar, na próxima semana, do evento "See It, Be It", na França. Ela é a única brasileira selecionada para fazer parte da edição 2018 do evento criado pelo Festival de Cannes para estimular a participação das mulheres no mercado de publicidade. Ao todo, 20 criativas, de diferentes nacionalidades, participarão de uma série de atividades durante o Cannes Lions, entre os dias 18 e 22 de junho.

Nascida em Belo Horizonte, Jessica é uma das criadoras da Navaranda, um coletivo feminista que organiza e agrupa projetos na capital mineira dedicados à questão feminina na área criativa e de comunicação. Dentre os projetos da Navaranda estão o “Museu das Minas”, um evento que se propõe a debater sobre a representatividade da mulher no meio criativo; o Ladies, Wine and Design, encontros mensais que reúnem profissionais de diversas áreas, e a série documental "Cidade das Minas".

Se segura, Cannes, Jéssica está chegando 

Antes de embarcar para a França, Jéssica conversou comigo e respondeu a “Quatro perguntas”; confira porque a gente tem que ficar de olho nela.

1) Qual a sensação de poder participar desse evento? A gente sabe que Cannes é a Meca dos publicitários.

Uma emoção indescritível. A viagem ainda nem aconteceu, mas já estou vivendo o sonho que é essa conquista. Cannes é sim um prêmio renomado no mercado, mas o orgulho é ainda maior em poder fazer parte de um programa que conversa com meus valores, como o "See It Be It". Compartilhar os próximos dias com mulheres de todo o mundo, refletindo e aprendendo como podemos fazer mais pela mudança do mercado, vai ser incrível e mal posso esperar.

2) Você é negra e menina num mercado bastante masculino e branco. Já deu pra sentir que suas ações ocasionam mudanças?

Minha presença é resistência. Porque, de fato, a gente olha para o lado e ainda vê poucas pessoas que fogem do homem branco classe média. A pergunta que permeia minhas ações é: como posso trazer mais pluralidade para os lugares? Como mais mulheres, negros, gays e tantos grupos minorizados podem ocupar cada vez mais o mercado? Enquanto eu for excessão, tenho a responsabilidade de abrir olhos e caminhos para que o cenário mude - e acredito que os diálogos que venho promovendo com a Navaranda são os primeiros passos para isso.

3)  Curiosidade: como consegue fazer tantos projetos extras e ainda trabalhar numa agência de propaganda?

HAHAHAHAHA! Olha, eu também não sei. Quando vejo, já fui. Tem tempos de cansaço e tempos de uma energia inspiradora. Tento encontrar o equilíbrio, mas acho que o segredo é: não faço nada sozinha. Minhas parceiras e nossa rede impulsionam os projetos lado a lado e isso é incrível.

4) Qual a sua relação com a moda? Vi que vai vestir várias marcas mineiras durante a viagem.

Sempre acreditei que a roupa diz muito sobre a gente. Desde a escolha da marca até as cores, estou me comunicando por meio do que visto também. Graças à Mary Arantes e à Gabriela Silva criamos uma rede incrível de marcas que vai embarcar comigo nessa viagem para me ajudar a contar, também por meio das roupas, minha história para o mundo. São marcas mineiras, como eu, de personalidade e estilo inconfundíveis e que também carregam muito da história de seus donos. Já de antemão: vou vestir Apartamento 03, do talentosíssimo Luiz Claudio, nos pés, escolhas lindas da Equipage/Cláudia Mourão e acessórios Fernanda Torquett.

#vaiqueésuajéssica

NATÁLIA DORNELLAS

FOTOS LECA NOVO 



COMPARTILHE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS




MENSAGEM




FACEBOOK