MINAS TREND

TUDO SOBRE LINGERIE COM TANIA REZENDE11/04/17

Conversarmos com a criadora da Intima Passion, que vive de olho na moda e na lingerie

Há 12 anos no mercado, a Íntima Passion foi uma das participantes do estande coletivo da Codemig durante o Minas Trend. Conversamos com Tânia Rezende, nome por trás da marca, que nos contou que atualmente já marcam presença em mais de dez países, e agora o foco é expandir o mercado externo (e o interno, através do varejo, que é uma ótima nova!). Além disso, ela já adiantou o que podemos esperar do inverno da label, entregou a mudança no hábito das clientes durante a trajetória da grife, que é do interior de Minas Gerais e já está presente em mais de 100 pontos de venda Brasil afora, além de contar com representantes, e-commerce e muito mais! Curioso? Confira!

Conheça o rosto por trás da Íntima Passion!

 

SiteND: Me conta um pouco sobre a coleção de inverno: o que vem por aí?!

Tânia Rezende (TR): A inspiração foi Veneza e a gente trouxe pra construção das peças um pouco da arquitetura e da cartela de cores daquele lugar, então temos tons de rosa seco, rosa queimado, uns terrosos também.. Além desse tom de azul, que a gente chama de azul orvalho, bem característico daquele azul desgastado das construções de Veneza. E trouxemos também um pouco da arquitetura com os decotes em V, e um pouco dessa lingerie que vai pra moda, pra aparecer um pouco, ser uma composição legal do look como uma coadjuvante mas que, no final, quando você monta toda a produção, ela chama bastante atenção e acaba sendo a protagonista.

SiteND: Como você foi parar na moda e por que escolheu a lingerie quando a maioria das pessoas vai parar nas roupas?

TR: Minha experiência com moda é desde criança. Aprendi a costurar com minha avó e comecei no ateliê da minha tia. Como moro numa cidade que respira lingerie, foi natural que eu aprendesse primeiro que um corte de roupa. E sempre fui apaixonada por moda e por construir peças de roupa, sempre gostei de fazer minhas blusas, meus vestidos, e a lingerie sempre foi muito próxima pela questão do pólo mesmo. Eu tive uma longa experiência em outras empresas, de mais ou menos uns dez anos como modelista e, depois, como estilista. Então, em 2005 , resolvi criar a Intima Passion e segui numa viagem pra entender aquilo que eu queria. Fui visitar o Salão Internacional da Lingerie... E consegui visualizar aquilo que ainda não existia na minha região e que eu gostaria de trazer pra marca, que é uma mistura da lingerie clássica, mas também tem uma pegada mais romântica e com uma pitada de sensualidade, mas com muita elegância. A gente também fez um estudo de modelagem muito bacana pra dar uma afinada na silhueta, principalmente no seio, nas gordurinhas. Toda a modelagem foi pensada na mulher real e também na questão do classicismo, que é uma coisa muito nítida em toda a coleção, com muita renda, cores neutras, mais tranquilas... Claro que o preto também é predominante, mas não tem como!

Um pouco do que estava exposto no Minas Trend

 

SiteND: A marca já tem 12 anos. Como você avalia o consumidor de hoje? Teve alguma mudança no comportamento em relação ao consumo da lingerie?

TR: Eu acho que sim. Antes a gente produzia com tecidos mais pesados. Hoje eles são superleves... O consumidor busca peças mais leves, confortáveis. A consumidora não abre mais mão do conforto, mesmo sendo uma peça mais sensual, como uma camisola pra uma noite de núpcias, por exemplo... Então eu acho que o que mudou e fez a Íntima Passion se destacar foi essa questão do conforto mesmo, porque a gente sempre pensou muito nisso, então foi muito positivo.

SiteND: Tem alguma peça que as mulheres procuravam muito e hoje não procuram tanto?

TR: O bojo! A peça superestruturada está caindo em desuso. Mesmo na linha noite, nos espartilhos, que estão mais fluidos também, o bojo vem mais fino, mais macio... Uma coisa que eu tenho percebido muito no Brasil, que lá fora já era realidade, é que as peças sem bojo estão ganhando cada vez mais destaque na coleção e também na parte comercial. Isso tem mudado bastante e é legal! E também a lingerie na parte de homewear... De repente você poder estar com um pijama, que faz parte também da lingerie, ou de um sleep dress, que chega em casa, já fica mais à vontade e pode, de repente, receber um amigo... Acho que essa pegada da lingerie casa tá bem em alta.

SiteND: Antes vocês só vendiam atacado e agora estão com duas lojas. Tem plano de abrir outras e por que sentiu a necessidade de ir para o varejo?

TR: Acho que tudo é um caminho. Nós ganhamos o prêmio de melhor indústria do Estado de Minas Gerais no final do ano passado e antes disso já tínhamos clientes pedindo lojas da Íntima Passion, querendo ser franqueadas... Então abrimos uma loja conceito pra aprendermos a lidar com o varejo e isso foi ótimo pra entendermos as clientes, as demandas... No varejo não existe o atravessador, então você consegue entender o que sua cliente pede e isso é ótimo! Um dos motivos foi pra estar mais próximo das consumidoras e outro foi o anseio das clientes por uma loja da Intima Passion. A loja do Shopping Iguatemi Ribeirão é própria e a de Varginha já é a primeira franquia.

SiteND: Conta um pouco da parceria com o SEBRAE, tem uma historinha muito legal, e que é um dos grandes diferenciais de vocês...

TR: A gente fez um projeto em parceria com o SEBRAE e o SENAI-Modatec, há 5 anos, com uma consultora, onde desenvolvemos uma modelagem específica. A gente fez um novo estudo de uma nova forma de modelar, de taças A, B, C e D, que é único no Brasil e foi feito em parceria com um mastologista de BH. A gente desenvolveu a “Medida Íntima”, que tira, também, a medida do seio, não costas e seio juntas, pra saber o soutien específico pra cada mulher

#lingerie

CECÍLIA BARBI (DA REDAÇÃO)

FOTOS LECA NOVO



COMPARTILHE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS (1)


Ângela Maria da Silva - 10/04/17


Orgulho danado dessa menina! Sucesso sempre pra você.





MENSAGEM