ND AMA

AZEITE-SE: MUITO ALÉM DO GRAU DE ACIDEZ06/06/18

ESPECIALISTA TE ENSINA A ESCOLHER OS MELHORES PRODUTOS

Você sabe escolher um bom azeite? A grande maioria das pessoas responderá: “Quanto menor a acidez, melhor!”. Mas não é tão simples assim! Algumas informações importantes – e que não verificamos -  devem ser observadas na hora da compra!

O azeite é um alimento milenar. Surgiu nos anos 12 mil  A.C. e tem seu nome derivado da palavra ”Azait”, que, em árabe, significa suco da azeitona. E como todo suco natural de fruta (sim, a azeitona é uma fruta!), o azeite de oliva extravirgem não contém aditivos químicos, nem conservantes! Com isso, já temos a primeira dica de escolha de um azeite: ao contrário do vinho, quanto mais fresco, melhor!

Escolhendo um bom azeite com Ana Beloto

                          

Outras dicas são importantes: Para que seja considerado “azeite extravirgem” ou “azeite de oliva virgem”, não é permitida a mistura com óleos vegetais refinados (soja, milho e girassol); no caso de azeite de oliva refinado, o rótulo mencionará, obrigatoriamente, que é do “tipo único”. O local de origem e procedência deve ser, preferencialmente, no mesmo país, evitando assim possíveis fraudes e escolha embalagens escuras, que isolem o produto do contato com a luz.

Mas, e a acidez? Não se engane, a acidez não deve ser o primeiro parâmetro de escolha e de qualidade na compra de um azeite! Os azeites que ultrapassam o grau de acidez de 2% e/ou possuem defeitos sensoriais são destinados ao refino. Esse refino é feito por um processo químico, que retira o sabor, o odor e a cor do produto, e por isso, a mistura desse azeite refinado com azeites virgens (extra ou fino) recebe a denominação de “azeite de oliva” e seu grau de acidez não pode superar a 1%! Esses azeites, portanto, terão uma baixa acidez, porém, pelo processo que foram fabricados, não terão a mesma qualidade de um azeite extravirgem ou virgem! 

E muito cuidado: nomenclaturas como “tempero português” ou “tempero espanhol” significam que aquele produto são uma mistura, e não um azeite de oliva de boa qualidade.

 

Anotou?

                                     

O ideal é considerar o parâmetro da acidez como o último item a ser observado na compra de um azeite. Antes disso, atente-se ao tipo de azeite que está levando (sempre dê preferência em consumir os do tipo extravirgem, com até 0,8% de acidez!), a data de produção e envase do produto (quanto mais recente a data de extração do azeite e novo, melhor!), a sua origem e procedência e embalagens que isolem o produto da luz, evitando a sua oxidação!

 

#azeite-se!

 

 

ANA BELOTO (COLAB ESPECIAL)

FOTOS REPRODUÇÃO INSTAGRAM @ANABELOTO 




COMPARTILHE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS




MENSAGEM




FACEBOOK